Presidente da OCB/MS fala sobre os avanços do Cooperativismo no MS

Foto: Divulgação/OCB-MS - Celso Ramos presidente da OCB/MS

Celso Ramos destacou as principais conquistas obtidas pelo segmento a nível estadual e nacional, falando sobre a atuação da OCB junto as cooperativas do estado

Com uma representação de aproximadamente 15% no Produto Interno Bruto (PIB), Mato Grosso do Sul é um dos estados do país em que o sistema cooperativista está mais enraizado, contando atualmente com mais de 300 mil cooperados e que segue crescendo em ritmo acelerado, alavancado fortemente pela matriz econômica do estado, que é o agronegócio, mas que nós últimos anos têm sido impulsionado também por outros setores, como o crédito, saúde, infraestrutura e transporte.

Em entrevista para a 12ª edição do Informativo COOASGO, o presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras em Mato Grosso do Sul (OCB/MS), Celso Ramos Regis, falou sobre os avanços do cooperativismo no estado, destacando as principais conquistas, bem como o trabalho desenvolvido pela OCB/MS junto as cooperativas do estado.

Confira a entrevista na íntegra:

Representação

O sistema cooperativo brasileiro tem uma representação muito forte no cenário econômico e financeiro, e na participação do desenvolvimento local, regional e nacional. Nós temos cidades e estados brasileiros, onde o cooperativismo é a principal força motora da economia e aqui no Mato Grosso do Sul não é diferente, onde o empreendimento cooperativo é a principal mola propulsora dos negócios e da vida de moradores de vario municípios.

O cooperativismo sul-mato-grossense nos últimos anos tem crescido a passos largos, quase 30% ao ano e aqui no estado o cooperativismo tem uma representação muito forte em todos os setores, com as mais de 100 cooperativas instaladas e um número significativo de cerca de 300 mil associados, gerando um número aproximado de 10 mil empregos diretos.

Nos últimos dois anos, o investimento em infraestrutura em Mato Grosso do Sul, mais da metade advém dos empreendimentos cooperativos, sejam eles no crescimento das plantas industriais montadas ou novas unidades de cooperativas, seja na área de proteína animal, ou esmagamento de grãos, estrutura para exportação, cooperativas de crédito, que enquanto outras instituições financeiras têm fechado agências, as cooperativas vêm de encontro inaugurando diversos novos negócios, o que mostra o crescimento da confiança das pessoas no trabalho de uma cooperativa.

Conquistas

A nível nacional, os principais desafios que enfrentamos enquanto OCB são no campo do Legislativo Federal, que é onde nós temos travado as principais lutas em defesa do cooperativismo brasileiro e onde nós temos também importantes conquistas, que graças a uma atuação muito forte dos parlamentares do Congresso Nacional, temos conseguido no campo tributário, dar o devido reconhecimento ao ato cooperativo.

Mais recentemente através de uma grande campanha vitoriosa, conseguimos o reconhecimento da Lei nº 13.288, de 16 de maio de 2016, que trata da integração vertical das cooperativas em especial da proteína animal, onde a nossa frente parlamentar junto a OCB nacional tem feito permanentemente vigilância, visando fortalecer o movimento cooperativo brasileiro e não permitindo que o mesmo seja penalizado como outros tributos que poderiam advir.

Também aqui no MS recentemente, a isonomia do ICMS na exportação de grãos, onde as cooperativas desde o ano passado têm a mesma tributação que as demais empresas do setor e isso é uma conquista muito grande.

Nós temos aqui também junto ao governo do Estado, um termo de cooperação para fortalecimento dos empreendimentos cooperativos, abrindo portas para que as cooperativas tenham acesso com maior facilidade para que seus desafios sejam superados e a OCB/MS tem contribuído com um trabalho forte junto a Secretaria de Fazenda e órgãos como IAGRO, SEMAGRO, dentre outros.

Atuação da OCB

O trabalho da OCB dentro do programa de fortalecimento do cooperativismo sul-mato-grossense é realizado através de serviços como capacitação e treinamentos por meio do sistema S do cooperativismo, o Sescoop, promovendo desta forma, a profissionalização da gestão das nossas cooperativas por meio de cursos, palestras, treinamentos, que tiveram continuidade mesmo em meio ao atual cenário em virtude da pandemia do Coronavírus com novas formas de atuação, por meio do ensino a distância, EAD, sempre buscando o fortalecimento das cooperativas através da profissionalização da gestão.

Além disso, a OCB também desenvolve um forte trabalho com ênfase no monitoramento cooperativo, através de análise permanente de programas de gestão das cooperativas e de acompanhamento feito pelo Sescoop, demonstrando para nossas cooperativas os principais desafios que elas estão enfrentando e qual rumo devem tomar, cuja decisão final evidentemente provem das diretorias e conselhos de administração de cada cooperativa.

A participação em vários foros como a Fundação MS, Aprosoja, Famasul, FUNDEMS, além do apoio a outras fundações e a participação em vários Conselhos de Desenvolvimento Rural, também tem direcionado recursos financiamentos do Governo do Estado para os interesses das cooperativas sul-mato-grossenses, visando o fortalecimento do cooperativismo no estado e permitindo que a OCB seja interlocutora das cooperativas junto ao governo para as questões ligadas diretamente ao setor produtivo.

Desafios frente a pandemia do Coronavírus

Nesse momento de pandemia, as cooperativas têm demonstrado grande força, conseguindo sobrepor os obstáculos e o momento de crise, enquanto os demais empreendimentos estão com muita dificuldade de permanecer no mercado, nossas cooperativas têm demonstrado em todas as áreas um crescimento que vai na contramão de outros segmentos, onde podemos tomar como exemplo a COOASGO e Aurora no agro, que vêm ampliando e montando novas plantas de negócio, gerando mais empregos e absorvendo plenamente a captação da geração de grãos aqui no nosso estado.

Não é à toa que nós temos dito que é a união e a confiança que faz com que o negócio realmente dê certo e o fato das cooperativas estarem crescendo em plena pandemia, significa que as pessoas confiam nos negócios provindo delas, onde a cooperação e ajuda mutua é principal corrente para vencermos todos esses desafios provocados pela pandemia no Brasil e no mundo.

Um exemplo dessa força do cooperativismo frente a pandemia, foi a celebração recentemente do Dia Internacional do Cooperativismo ou Dia C, que este ano ocorreu de forma totalmente diferente, sendo celebrado de forma virtual, onde sem estarmos próximos, mas ao mesmo tempo muito presentes, as cooperativas do nosso Estado, deram uma amostra mais uma vez do que é intercooperação e do que é se preocupar com a comunidade e dar realmente ênfase aos mais necessitados e aqueles que estão passando por dificuldades.

Mensagem final

Não tenho dúvidas que o respeito ao ser humano, a solidariedade, a compreensão de que a cooperativa é importante para o desenvolvimento local nas cidades, nas comunidades é o que vai fazer a diferença. É preservando a vida e a continuidade do nosso empreendimento que nós vamos ter capacidade de trazer mais negócios para o nosso setor e acima de tudo felicidade para as pessoas envolvidas, afinal de contas, Mato Grosso do Sul tem mais de 900 mil pessoas se juntando a família cooperativista, nossos colaboradores e associados vivendo e convivendo com esse modelo de organização econômica da sociedade através do empreendimento cooperativo, uma entidade de pessoas feita para pessoas.

Fonte: Cooasgo/Texto: Suzana Vanessa

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias semelhantes